Pedida impugnação da candidatura de Maluf

Contra o deputado pesam condenação pelo TJ e débito com a Justiça Eleitoral

Plínio Teodoro, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2010 | 00h00

JORNAL DA TARDE

Com base na Lei da Ficha Limpa, a Procuradoria Regional Eleitoral entrou com pedido de impugnação do registro de candidatura do deputado Paulo Maluf (PP), que tenta a reeleição.

Além da condenação pelo Tribunal de Justiça por superfaturamento na compra de frangos quando era prefeito de São Paulo, em 1996 ? motivo para a impugnação pela lei sancionada este ano ?, Maluf estaria em débito com a Justiça Eleitoral pelo não-pagamento de multas e teria ficado em "absoluto silêncio" em relação ao mandado de prisão expedido contra ele pela Interpol.

"Em tempos de Ficha Limpa, tem-se aqui o pedido de registro de candidatura de alguém que se encontra numa espécie de prisão em território brasileiro, a salvo tão somente em virtude da vedação da extradição do brasileiro nato. Caso deixe o País, pode ser preso em mais de uma centena de países que integram o sistema da Interpol", diz o procurador Pedro Barbosa Pereira Neto na petição. Maluf é acusado em ação em Nova York (EUA) de "conspiração com objetivo de roubar dinheiro da cidade de São Paulo a fim de possuir fundos no Brasil, Nova York e outros lugares, e ocultar dinheiro roubado".

Para Pereira Neto, o deputado tem o dever de encaminhar à Justiça Eleitoral tal processo. "Não há razão alguma para distinguir entre um antecedente criminal de âmbito interno doutro de âmbito estrangeiro ou internacional, a menos que se conclua que ao sistema legal é indiferente à candidatura de alguém com carreira criminosa no exterior."

Os advogados de Maluf vão recorrer do pedido de impugnação. Segundo a assessoria do deputado, ele "confia na Justiça". / COLABOROU ROBERTO ALMEIDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.