Pedida prisão provisória de suspeito de atirar em jovem

A Polícia Civil pediu a prisão provisória de três dias para o segurança Marcelo Xavier Costa, suspeito do assassinato de Luiz Felipe Fischer, de 17 anos, durante um show do Titãs em Campinas, no Ginásio da Unicamp, na última sexta-feira.Costa foi apontado pelo dono da empresa de segurança contratada para o evento, Flávio Couto, como responsável pelo tiro que matou o rapaz.Couto havia informado que Costa se identificara como policial civil. Mas ele trabalha como segurança em uma casa noturna da cidade, responsável pelos bares instalados no Ginásio da Unicamp durante a apresentação do grupo de rock.Costa admitiu ter atirado duas vezes, mas garantiu que foi para o alto. Couto também confirmou ter disparado quatro tiros para o alto. O tiroteio ocorreu depois que um grupo de jovens tentou forçar a entrada no ginásio sem pagar ingresso.O revólver 38 usado por Costa foi apreendido pela polícia, que já havia apreendido uma pistola 380 com Couto na noite da tragédia. A polícia aguarda o laudo de balística para saber de que arma saiu o tiro que atingiu Fischer.Os policiais têm informações de que Costa estava trabalhando na noite do show como segurança do bar instalado no ginásio. Mas ele negou, disse que estava no local para ver o espetáculo e atirou porque foi atingido por latas atiradas pelos jovens que tentaram forçar a entrada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.