Pedido de alvará sanitário

Carta 19.429Em 21/6/07 entrei com um processo na Coordenação de Vigilância Sanitária da SMS para obter alvará sanitário. E em 22/8 registrei um pedido de inspeção urgente, mas nada foi feito. Em 31/10, saiu no Diário Oficial do Município que o processo fora indeferido. Na Covisa não sabem informar o motivo, mas dizem que o indeferimento talvez se deva por no local haver um escritório de import/export, mas eu preciso é do depósito que lá existe, necessário para armazenar pequenas amostras de produtos alimentícios. Caso não queiram fazer a vistoria, peço que devolvam os R$ 280,65 que paguei pela inspeção - já que nada foi feito. GIANCARLO SPATACapitalA SMS responde:"A Coordenadoria de Vigilância Sanitária informa que o cadastro é emitido após análise documental e vistoria sanitária, por ordem de entrada do pedido. A autorização é dada após o local ser julgado apto para a atividade desenvolvida. A Covisa esclarece que a razão do indeferimento foi publicada no Diário Oficial de 30/10. Uma equipe técnica da Coordenação esteve no endereço indicado, mas não pôde vistoriar o local por ausência do responsável. A Covisa pede ao leitor que contate a subgerência de Vigilância de Alimentos para marcar nova visita. Se o local estiver em condições para a atividade informada, o cadastro será feito (resp. dia 16)."No dia 17 o leitor informou que não encontrou o motivo da recusa no Diário Oficial do Município, e o porteiro do prédio onde fica seu escritório sempre informa quando alguém o procura. Carta 19.430Cães abandonadosMoro numa rua pequena, e as pessoas que têm uma casa em frente, onde não mais moram, estão reformando-a há meses. Muitas vezes não há ninguém trabalhando no local, mas o problema é que eles deixaram dois cachorros na casa, que se encheu de pombos que comem a comida dos cães. A quem recorrer? Tenho pena dos cães e até já tentei contatar a UIPA, sem sucesso.MARIA FERNANDA ERDÓCIASaúdeA UIPA/SP responde:"Soubemos do fato apenas recentemente (resp. dia 8). A denunciante menciona falta de sucesso no contato, o que não procede, pois nem sempre há como resolver o caso de forma imediata, pois é preciso notificar o guardião dos animais antes de tomar providências."VANICE ORLANDI - UIPA/SPA leitora informa que no dia que a UIPA foi ao local, a dona da casa o limpara, não sendo possível constatar maus-tratos. Um cachorro morreu.Carta 19.431Espaços para respirarConstruíram um belo canteiro na calçada diante de um prédio no Ipiranga, com um espaço aberto no cimento por onde a terra respira e o verde pode crescer. Pensei que se os demais se preocupassem em fazer o mesmo diante de suas casas, lojas, prédios ou jardins ladrilhados, teríamos em pouco tempo uma diferença no clima e no visual de uma cidade onde a falta de verde nos faz adoecer devido ao calor e à poluição. A Prefeitura se esforça por despoluir a cidade visualmente, mas a urgência é criar áreas e recantos verdes, ilhas onde a cidade respire melhor e a terra possa absorver a água das chuvas. Urgente e vital. CECÍLIA BORELLIIpirangaCarta 19.432Medidas legaisCom ref. à carta do dia 4 (19. 379, Mais corte de gás), ressalto que jamais estive devedor. A empresa não assume os seus erros e ?confirma a inexistente inadimplência?. Tomarei medidas legais, pela falta de gás e pela falsa acusação.PEDRO GALUCHISaúdeA Comgás responde:"Em situações em que há débito pendente, mesmo para com conta cadastrada em débito automático, pedimos envio do comprovante de pagamento para fazer a regularização e marcar o serviço. Após receber comprovante ou confirmação de pagamento do banco, marcamos a data do serviço. Entendemos o ocorrido, mas contamos com a colaboração do cliente para regularizar o serviço e poder atender o seu pedido." Os moradores da Rua Francisco Py, em Lauzane Paulista, agradecem o auxílio prestado pela coluna no atendimento ao pedido feito para a operação tapa-buracos.ANTÔNIO RODRIGUES NERYLauzane PaulistaCorrespondência para São Paulo Reclama: e-mails para spreclama.estado@grupoestado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.