Pedreiro acusado de assassinato deve ser preso hoje

O delegado de Homicídios do Rio de Janeiro, Paulo Passos, espera prender hoje o pedreiro Alan Marques Costa, de 18 anos, um dos três acusados de assassinar a fonoaudióloga Márcia Lopes Lira, em Santa Teresa, e ferir a filha dela, T., de 13 anos, na noite da última quinta-feira. ?Com o rosto dele em todos os jornais do Rio e o monitoramento das áreas onde ele costuma andar, acreditamos que ele será preso logo", prometeu o delegado.Na noite de sexta-feira foi preso o segundo acusado, Marcelo Melo Gonçalves, de 37 anos, tio de Alan. "Com sua prisão, poderemos saber a identidade do terceiro assaltante que não era conhecido de Marcelo", disse o delegado. O crime chocou o bairro de Santa Teresa, no centro do Rio, um dos mais tradicionais da cidade, com casas e prédios antigos e cercado de favelas.Protesto - Na tarde de ontem houve uma manifestação de cerca de 150 moradores, promovida pelos deputados estaduais Carlos Minc (PT), de quem Márcia era secretária, e Chico Alencar (PT), morador do bairro há cinco anos. Eles distribuíram um manifesto protestando contra a falta de segurança e ação do poder público na região e vários amigos das vítimas fizeram depoimentos emocionados. "Ela passou na locadora de meu filho às 20 horas, feliz da vida porque ia ver um filme com os filhos", contou uma mulher que não quis se identificar.O taxista Francisco Linhares, morador do bairro há 28 anos, disse que não trabalha mais depois das 17 horas e nunca sai de casa após as 19h, com medo de assaltos que ocorrem todos os dias. O comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar, tenente coronel Marcos Fazio, responsável pela segurança da área, reconheceu o problema da criminalidade, mas lembrou que o policiamento do bairro foi reforçado e vários delitos foram evitados. "No caso desse assassinato, isso não seria possível porque o acusado tinha acesso à casa da vítima e ela não fez uma ficha com os dados dele, conforme recomendamos", lembrou o policial.A filha de Márcia continua internada no Hospital Souza Aguiar e seu estado de saúde é estável. Durante a manifestação, os amigos de Márcia diziam que o ex-marido dela, Luiz Paulo Sá de Castro Lira, que estava na casa no momento do assalto com o outro filho do casal, Marcelo, de 15 anos, pretende mudar-se do Rio assim que T. se restabelecer.

Agencia Estado,

29 de abril de 2001 | 09h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.