Pedreiro desaparece após cair em rio em Nova Iguaçu

Em outra ocorrência relacionada às chuvas, duas pessoas ficaram feridas depois de desabamento de casa na zona oeste do Rio

Sergio Torres e Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

11 Dezembro 2013 | 11h11

Atualizado às 12h37.

RIO - O pedreiro Martim Mesquita da Silva, de 50 anos, desapareceu na madrugada desta quarta-feira, 11, ao cair dentro de um rio no distrito de Austin, em Nova Iguaçu (cidade na região metropolitana do Rio). No momento da queda, chovia muito na área. O Corpo de Bombeiros continua as buscas à vítima. Em Realengo, na zona oeste da capital fluminense, o desabamento de uma casa deixou duas pessoas feridas. Outro desabamento foi registrado no bairro de Anchieta, na zona norte do Rio, mas, segundo o Corpo de Bombeiros do Rio, coronel Sérgio Simões, não houve vítimas. Com alagamentos, o trânsito está complicado na cidade.

Em entrevistas, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), pediu à população que evite sair de casa hoje. "Nosso pedido é para quem não tiver que sair de casa na manhã evite o deslocamento", disse ele.

Os principais pontos de inundação, segundo a prefeitura, são a Avenida Brasil, na altura de Manguinhos (zona norte), da Penha (zona norte e de Irajá (zona norte), e a Avenida Radial Oeste, no trecho próximo ao estádio do Maracanã (zona norte).

Mais de 40 sirenes já foram acionadas na capital fluminense desde a noite de terça-feira, 10 - quando chove forte e há risco de deslizamento e desmoronamento o sistema é acionado que as pessoas deixem suas casas e procurem um lugar seguro.

Na Região Serrana, área com grande risco de enchentes, desabamentos e deslizamentos, chove forte, mas nenhuma sirene foi acionada.

O Corpo de Bombeiros informa que Baixada Fluminense, Região Metropolitana e a Capital são as áreas mais atingidas pelas chuvas.

 

Mais conteúdo sobre:
Chuva Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.