Pedreiro mata professora ao acaso na Bahia

A professora aposentada Judite Oliveira Silva Macedo, de 54 anos, foi a vítima escolhida ao acaso pelo pedreiro Zacarias Gouveia da Silva, de 39 anos, que a matou com uma navalhada no final da tarde de terça-feira, 21, na Estação Rodoviária de Feira de Santana, cidade situada a 110 quilômetros de Salvador. Silva foi preso logo depois e só não foi linchado devido à intervenção de policiais militares. Ele não soube explicar porque resolveu matar uma pessoa que sequer conhecia e nunca lhe havia feito algum mal. "Foi um momento de loucura", disse apenas o criminoso.O pedreiro havia chamado a atenção de comerciantes e policiais da rodoviária, pois circulava meio agitado e em atitude suspeita. O dono de uma lanchonete contou que ele tomou um cafezinho e estava olhando insistentemente para o caixa. Avisados pelas pessoas, policiais chegaram a abordar Silva, mas como ele estava com todos os documentos e não portava armas, acabou liberado. Minutos depois, o criminoso entrou em uma das lojas do local e furtou a navalha que usaria no crime. Depois disso, passou a circular na área de espera do terminal onde existem bancos geralmente ocupados por passageiros. Num dado momento atacou por trás a professora Judite que havia viajado da cidade de Baixa Grande para realizar exames em Feira de Santana e aguardava um irmão. Com apenas um golpe o assassino atingiu o pescoço da vítima. Em seguida, saiu correndo, sendo alcançado logo depois por um grupo de pessoas que passou a espancá-lo. A professora morreu logo em seguida, enquanto Silva era retirado das mãos dos agressores e conduzido até a delegacia. O corpo da professora foi sepultado na manhã desta quarta-feira, dia 22, no cemitério de Baixa Grande.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.