Peemedebista nega acusações e põe sigilo ''à disposição''

A deputada Fátima Pelaes divulgou nota na noite de ontem, por intermédio de sua assessoria de imprensa, em que repudia as declarações de Errolflynn Paixão. Ela nega ter recebido recursos de empresas ou instituições ou qualquer esquema fraudulento e diz que tomará as medidas cabíveis contra as "calúnias".

, O Estado de S.Paulo

12 Agosto 2011 | 00h00

"Meus sigilos bancário, fiscal e telefônico estão à disposição", disse. Fátima Pelaes se exime da responsabilidade de fiscalizar a aplicação devida de recursos do Ministério do Turismo e declara que, "até onde tinha conhecimento, a instituição vinha realizando cursos". "Fui a uma entrega no Oiapoque. Agora, não posso assegurar quais os valores destinados em cada curso e a qualidade dos serviços. Isso é uma função dos órgãos responsáveis", disse.

A parlamentar afirmou que solicitou "uma rigorosa análise técnica e jurídica e o que ainda couber" para apurar suposto desvio de recursos do Turismo. "Estou acompanhando o desenrolar da investigação dos órgãos competentes com a expectativa de que todos os fatos sejam esclarecidos e, na identificação dos culpados, que sejam punidos."

A peemedebista disse ter destinado R$ 4 milhões, por emenda parlamentar, a projetos de qualificação e outros R$ 5 milhões para o Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste (Prodetur). "A destinação desses recursos tiveram (sic) como base estudos elaborados pelo Ministério do Turismo" ainda na gestão de Walfrido dos Mares Guia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.