Peemedebista vence eleição em Magé

O candidato Nestor Vidal (PMDB) foi eleito prefeito de Magé, município a 50 quilômetros da capital fluminense. Ele recebeu 68,62% dos votos válidos. Vidal, que teve apoio do governador Sérgio Cabral, faz oposição ao governo de Núbia Cozzolino, prefeita cassada e substituída interinamente pelo irmão, Anderson Cozzolino, o Dinho.

Clarissa Thomé / RIO, O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2011 | 00h00

Os 160 mil eleitores de Magé tiveram de voltar às urnas ontem para escolher o novo prefeito porque Núbia foi cassada por abuso de poder político e econômico na campanha de 2008. Ela responde a 28 ações por improbidade administrativa, além de três centenas de inquéritos civis e sete denúncias criminais.

Núbia nega todas as acusações, mas pela primeira vez um Cozzolino não disputou as eleições em 30 anos - dos quais em 21 a família esteve no poder. Dinho, que era o presidente da Câmara de Vereadores, assumiu interinamente a prefeitura com o afastamento da irmã. O candidato apoiado por Núbia, Werner Saraiva (PTdoB), ficou em segundo lugar, com 23,82% dos votos. Os outros quatro candidatos tiveram menos de 8% dos votos.

Apesar do clima tenso às vésperas da eleição, o domingo foi tranquilo. Pela manhã, o presidente do TRE-RJ, desembargador Luiz Zveiter, ameaçou Dinho de prisão e determinou sua retirada do Colégio Estadual José Veríssimo, maior colégio eleitoral do município. Zveiter tomou a decisão depois de ser informado que era a quarta vez que o prefeito visitava o local. Ele foi acusado intimidar eleitores.

Pela manhã, três pessoas foram presas por boca de urna, entre eles o chefe da Guarda Municipal de Magé, Renato Abreu, conhecido como Renatinho PM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.