Pelo menos 5 mil famílias terão que ser removidas no Rio

Secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos garantiu que governo pagará aluguel social para famílias até que elas sejam reassentadas; recursos virão do governo federal

Agência Brasil,

13 de janeiro de 2011 | 15h28

RIO - Pelo menos 5 mil famílias que moram em encostas ou às margens de rios na região serrana do estado, consideradas de "extremo risco", terão que ser removidas. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 13, pelo secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves. Ele garantiu que o governo pagará aluguel social para essas famílias até que sejam reassentadas, e que os recursos para isso serão solicitados ao governo federal.

 

Neves explicou que a remoção das famílias será coordenada pelo Gabinete da Assistência Social, criado ontem por orientação do governador Sérgio Cabral e que vai congregar as secretarias de Assistência Social dos municípios de Petrópolis, Teresópolis e Friburgo atingidos por fortes chuvas nesta semana.

 

"O mais importante nesse momento é assistir à população desabrigada e chegar aos pontos mais críticos", disse o secretário após reunião com os ministros do Desenvolvimento Social, Teresa Campelo, e da Integração Nacional, Fernando Bezerra, na noite dessa quarta-feira, 12.

 

Segundo a Defesa Civil do estado, já são mais de 3 mil famílias desabrigadas na região serrana. Elas estão sendo acolhidas em ginásios e escolas públicas e ontem mesmo começaram a receber colchonetes, roupas, material de higiene pessoal e de limpeza e alimentos não perecíveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.