Pelotão de Choque assume negociações com presos em Jequié (BA)

Completou três dias hoje a rebelião dos 31 presos do Conjunto Penal de Jequié, a 300 quilômetros de Salvador, que mantém seis pessoas como reféns, um guarda de presídio, um detento e quatro visitantes, entre os quais um garoto de 4 anos e uma garota de 1 ano. Os amotinados reivindicam a transferência de colegas devido ao superlotamento do local, a rapidez na tramitação dos processos e denunciam maus tratos.Ontem à noite uma equipe de 48 homens do Pelotão de Choque da Polícia Militar de Salvador assumiu as negociações com os presos. Os policiais endureceram o tratamento: cortaram o fornecimento de comida e prosseguem fazendo barulho durante a noite para que os presos não durmam.Enquanto isso, no Presídio de Salvador, situado na periferia da capital baiana, cinco detentos conseguiram fugir, serrando grades e arrombando cadeados. Eles pularam um muro de quatro metros. Um dos presos acabou quebrando a perna e foi recapturado pela polícia. Outros dois foram achados numa favela próxima ao presídio, mas dois continuam foragidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.