Penitenciária de Araraquara deve ser desativada em dez dias

A retirada dos últimos 500 internos do regime fechado e do semi-aberto da Penitenciária de Araraquara deve ocorrer em até dez dias. Presos, policiais, agentes penitenciários e moradores dos arredores estão comemorando a desativação temporária da unidade depois de três meses enfrentando rebeliões, tentativas de fuga, protestos e a pressão diária. A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) não comenta as transferências. A tranqüilidade tem data para começar e também um fim anunciado. Em fevereiro a obra de reconstrução da unidade avaliada em R$ 16,1 milhões deve ser concluída. Depois disso, todos os 1,6 mil homens que já cumpriam pena em Araraquara devem retornar ao presídio. O aposentado Juraci Gonzaga, de 74 anos, sabe que a calma é temporária. "Não vai mudar nada porque vai desativar e voltar depois." A notícia de que a penitenciária será esvaziada foi recebida com festa pelos presos. Logo pela manhã, os internos deram risadas e se cumprimentaram. "Isso motivou o pessoal aqui dentro porque todos sabemos que sairemos desse inferno", disse um dos detentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.