Penitenciária de SP tem 3 tumultos em menos de 5 dias

De quinta-feira última até esta segunda-feira, o Centro de Readaptação Penitenciária de Presidente Bernardes (SP), complexo prisional considerado de segurança máxima, viveu três episódios de quebra-quebra promovidos pelos 141 presos que ocupam celas individuais. O complexo possui 161. No início da madrugada desta segunda-feira, depois de horas de vandalismo promovido pelos presos, homens do grupo de intervenção rápida e policiais militares fizeram uma vistoria. O tumulto começou por volta das 19h de domingo, quando os detentos do Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) quebraram os vidros das celas. Com armas e cães, os agentes entraram no presídio por volta das 22h. Três bombas de efeito moral foram usadas na ação dos policiais. A vistoria atravessou a madrugada.Esta é a terceira vez em menos de cinco dias que presos promovem quebra-quebra em Presidente Bernardes, onde está detido Marcos Willians Herbas Camacho, o "Marcola" líder máximo do Primeiro Comando da Capital. Na última quinta-feira, ocorreram outras duas sessões de vandalismo porque havia a expectativa de que promotores tomassem depoimento de Marcola na penitenciária, o que não ocorreu, pois os advogados deles não compareceram. Na ocasião, os presos conseguiram arrancar as portinholas de ferro das celas, quebraram vidros e atiraram detergente nos funcionários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.