Perder o assento é...

Não se pode agradar a todos. Tem gente que vai sentir saudades do trema, há quem desde já lamente a extinção apenas parcial do hífen, comemora-se aqui e ali a volta do "k", do "w" e do "y" ao abecedário. A unificação ortográfica da língua portuguesa praticada em sete países de três continentes gerou protesto com 35 mil assinaturas em Portugal.Aqui no Brasil, como se sabe, só se fala de outras coisas. Ninguém parou para questionar sequer se Gisele Bündchen vai perder os dois pinguinhos em cima do "u" ou se vamos ter de dizer "tranquilo" como os argentinos. Calma aí: as mudanças não atingem a grafia de nomes próprios ou a pronúncia do idioma em geral.Não há mesmo muito por que se preocupar com nada disso, a não ser, talvez, com a queda do acento agudo em palavra terminada em "eia" ou "oia". "Paranoia" ainda vai, mas "ideia", convenhamos, se já está em falta do jeito que é... Com o perdão do trocadilho, para botar uma idéia de pé, não basta lhe tirar o assento. MELÔ DILMA"Erenice, eu bem que te disse: olha essa embrulhada em que vou me meter..."Paródia musical do clássico Doralice (Dorival Caymmi e Antonio Almeida), entoada à boca pequena entre funcionários da Casa Civil do governo.AÍ TEM!Por que diabos o príncipe Albert ainda não despachou SalvatoreCacciola de Mônaco para o Brasil?! Só se fala disso na Rua da Consolação, ali pela altura dos Jardins.Nem tudoCarlos Minc quer "autonomia, poder e dinheiro", além do Exército, para tocar o Ministério do Meio Ambiente. Como não se pode querer tudo na vida, abriu mão de Mangabeira Unger na coordenação do Plano Amazônia Sustentável. Chuchu americanoJohn McCain deve ligar a qualquer momento para Geraldo Alckmin. Quer saber como o pré-candidato do PSDB faz para se descolar do correligionário José Serra. Deve tentar a mesma tática em relação a George Bush.Agenda positivaAgora é oficial: a partir de 2013, São Paulo terá um engarrafamento único, das 7 às 19 horas. Isso quer dizer o seguinte: vai ter gente chegando ao trabalho na hora de ir embora. É preciso ver o lado bom das coisas. Medo de machucarDepois que quebrou acidentalmente o braço do filho de 4 anos, Vitor Belfort não brinca mais de "touro bravo" nem com a patroa, Joana Prado. A ex-Feiticeira anda inconsolável.Estrangeiros são os outrosA chegada do técnico Joel Santana à África do Sul não tem nada a ver com a onda de xenofobia que tomou Johannesburgo no fim de semana. E não se fala mais nisso, ok?!Não tem pra todasAs louras já começam a trocar cotoveladas em Belo Horizonte. Disputam, desta vez, convites para o camarote de Aécio Neves no jogo Brasil x Argentina, marcado para 18 de junho, no Mineirão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.