Corpo de Bombeiros de Pernambuco
Corpo de Bombeiros de Pernambuco

Perdi minha única neta, diz avô de menina vítima de deslizamento em Recife

Seis das sete vítimas da tragédia foram sepultadas; prefeitura diz que obras de contenção não teriam evitado acidente

Thatiane Teixeira, Especial para o Estado

25 de dezembro de 2019 | 23h57

RECIFE - Seis das sete vítimas do deslizamento de uma barreira em Recife foram enterrados nesta quarta-feira, 25. No cemitério de Santo Amaro, na área central da capital pernabucana, foram sepultados os corpos de Lucimar e Daffyne Alves, avó e neta. Aldemir dos Santos, avô da menina, estava extremamente abalado. “Recebi a notícia e fiquei desesperado. Perdi minha única neta”, declarou.

Os pais da menina, de 9 anos, não tiveram condições de acompanhar o sepultamento e tiveram que ser amparados pelos familiares, que cantaram, fizeram orações e estavam bastante comovidos durante o velório e o enterro. 

Cristina Gomes da Silva, uma das vítimas que sobreviveram ao deslizamento e irmã de Lucimar, recebeu alta do Hospital da Restauração e seguiu para o cemitério. Com marcas aparentes no rosto e nos braços, sequelas do acidente, ela estava bastante emocionada ao acompanhar o sepultamento da irmã.

Para Otoniel Simião, 57 anos, viúvo de Lucimar, são necessárias medidas preventivas para que tragédias como essa não voltem a acontecer. “Perdi uma mulher incrível, com quem eu estava casado há oito anos, morando na mesma casa. Se não tomarem providências, ocorrerá de novo”, finalizou. A principal suspeita é de que o acidente foi causado por um vazamento na rede de água do bairro, segundo laudo preliminar da Defesa Civil municipal.

Nesta quarta, a prefeitura de Recife afirmou que as obras de contenção realizadas na região onde a tragédia aconteceu não teriam impedido que aquele ponto específico da barreira sofresse deslizamento. Segundo a administração municipal, as obras têm o objetivo de evitar deslizamentos causados pela chuva, quando a água vem de fora do terreno. "O caso do deslizamento da terça-feira é diferente, a água veio de dentro da barreira, uma obra de contenção não teria evitado o acidente. O local do deslizamento não era considerado de alto risco para acidente causado por chuva", declarou o órgão, em nota

Na manhã desta quarta, também foram sepultados os corpos de Érika Virginia, de 19 anos, e do seu filho Érick Junior, de 2 meses. A cerimônia aconteceu na cidade de Palmares, interior de Pernambuco. Marido de Érika e pai do bebê, Emanuel Henrique de França, de 25 anos, já havia sido enterrado na tarde de terça-feira, 24, no cemitério de Santo Amaro. Também foi sepultada Cláudia Bezerra, de 47 anos. A sétima vítima, Lia de Oliveira, 45, será enterrada no Maranhão./COM AGÊNCIA BRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.