Perdigão começa amanhã recuperação de fábrica incendiada

Retomada das operações da empresa deverá ocorrer, de forma gradativa, a partir de 30 de março

Solange Spigliatti, estadao.com.br

22 de março de 2009 | 13h59

A empresa Perdigão vai começar nesta segunda-feira, 23, os trabalhos de recuperação do complexo agroindustrial de Rio Verde, em Goiás, que pegou fogo na manhã deste sábado, 21. A retomada das operações deverá ocorrer, de forma gradativa, a partir de 30 de março, segundo a empresa.

 

De acordo com nota da empresa divulgada neste domingo, 22, as equipes de engenharia de segurança da empresa, acompanhadas por integrantes do Corpo de Bombeiros, já vistoriaram as instalações atingidas e constataram que alguns focos persistem no centro de distribuição, mas estão sob controle.

 

O incêndio começou por volta das 9 horas e foi controlado à noite, sem deixar feridos. Uma unidade de amônia, que é utilizada no processo industrial, teve que ser isolada. Cerca de três mil trabalhadores estavam no local quando começou o incêndio, segundo a empresa.

 

De acordo com a nota da Perdigão, "durante toda a operação, houve especial cuidado com o isolamento dos tanques que armazenam a amônia e não existe risco de vazamento, conforme pode ser constatado pelas equipes de segurança envolvidas no rescaldo".

 

O abastecimento aos clientes dos mercados interno e externo feitos a partir desta planta, segundo a nota, não será comprometido, uma vez que outras unidades terão sua produção ajustada para suprir essa demanda.

 

Com relação aos funcionários alocados no Complexo, cujas atividades estão interrompidas temporariamente, a Perdigão esclarece que aqueles que não forem mobilizados nos trabalhos de recuperação das instalações, poderão ser deslocados para outras unidades processadoras da empresa localizadas próximas à Rio Verde, não havendo necessidade de demissões em consequência do incêndio.

Tudo o que sabemos sobre:
IncêndioPerdigãoGoiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.