Pereira: ''''Pilotei avião avariado''''

O presidente demissionário da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, culpou ontem as pressões políticas e a condição de interino à frente da estatal por não ter feito mudanças significativas na diretoria e gestão da empresa. E disse acreditar que seu sucessor, Sérgio Gaudenzi, que assume o cargo hoje, terá mais chances de fazer alterações. "Eu estava pilotando um avião avariado. Agora, o avião é novo", afirmou, referindo-se ao fato de o novo presidente assumir em meio à renovação no comando do Ministério da Defesa. Espero que o ministro (Nelson Jobim) e ele consigam fazer o que não pude."Pereira chegou à presidência da Infraero em março de 2006, com a saída do deputado Carlos Wilson (PT-PE). Antes, foi antes diretor de Operações. Na terça-feira, admitiu que não ter mudado a diretoria pode ter contribuído a "alguns equívocos".Gaudenzi assumirá já tendo de se explicar ao Tribunal de Contas da União sobre sua gestão à frente da Agência Espacial Brasileira. Parte do custo da viagem do astronauta Marcos Pontes - R$ 16 milhões - foi paga sem prévia autorização do Congresso. Ontem, autoridades como o governador José Serra saíram em sua defesa. Ele disse que Gaudenzi é um homem "correto" e desempenhará bem a "tarefa difícil" a que foi designado.

Isabel Sobral e Rejane Lima, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2006 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.