Corpo de Bombeiros/Reprodução
Corpo de Bombeiros/Reprodução

Perícia conclui que restos mortais encontrados em barriga de jacaré são de humano

Delegado pede exame de DNA para determinar se a vítima é Adilson Bernardes de Oliveira, desaparecido em 28 de julho

Célia Bretas Tahan, Especial para O Estado

15 Agosto 2017 | 17h35

O Instituto Médico Legal de Palmas, no Tocantins, concluiu que os restos mortais encontrados na barriga de um jacaré-açu, morto em 30 de julho, são humanos. O jacaré foi morto por populares, depois do desaparecimento de Adilson Bernardes de Oliveira, de 47 anos. 

Oliveira estava acampado nas margens do Rio Javaé, a cerca de 200 quilômetros de Palmas, quando sumiu. Enquanto os bombeiros procuravam por Oliveira, moradores, que acompanhavam as buscas, capturaram um jacaré. Ao ver que o animal tinha um inchaço na região do abdome, o mataram e encontraram restos que pareciam ser de um humano.

O delegado responsável pelo caso, Diogo Fonseca da Silveira, pediu a coleta de material biológico de parentes de Oliveira, para exame de DNA.

 

Mais conteúdo sobre:
Tocantins [estado]Palmas [TO]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.