Perícia confirma que ossada achada em Minas é de bancário

A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou nesta sexta-feira que a ossada encontrada quinta, no parque das Mangabeiras, ao pé da Serra do Curral, região Centro-Sul da capital mineira, é do bancário Saulo Fróis do Nascimento, de 25 anos. O bancário estava desaparecido desde agosto de 2005. A confirmação foi feita a partir de exames da arcada dentária. Além da ossada, foram encontrados objetos pessoais, peças de roupa, dinheiro e uma carteira, reconhecidos pela mãe do bancário.A ossada foi encontrada por dois rapazes que faziam trilha no parque. O enterro será no sábado, mas a família ainda não decidiu o local. O bancário foi visto pela última vez por uma amiga na região da Praça da Liberdade, em direção a Savassi, Zona Sul da capital mineira. O bancário fora detido por dirigir alcoolizado na madrugada de 20 de agosto do ano passado. Liberado pelo Detran-MG, desapareceu sem dar informações à família.A Polícia Civil trabalha com as versões de que o bancário se suicidou ou que foi assassinado. Conforme a polícia, o crânio foi encontrado intacto, sendo constatada apenas uma fratura na perna esquerda, provavelmente provocada pela queda. A própria mãe do rapaz, Vânia Lúcia Fróis do Nascimento, diante do comportamento depressivo do filho, considera o suicídio. "Ele sempre subia a Serra do Curral quando estava com problemas", revelou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.