Arte: estadao.com.br
Arte: estadao.com.br

Perícia da caixa-preta de bimotor pode ser feita no exterior

Bimotor caiu perto da pista do aeroporto e causou a morte de 14 pessoas, a maioria da mesma família

Agência Brasil,

25 de maio de 2009 | 10h59

A Aeronáutica se reúne nesta segunda-feira, 25, em Recife, para definir se a perícia da caixa-preta do bimotor King Air B350, prefixo PR-MOZ será feita no Brasil ou no exterior. O avião caiu na noite de sexta-feira, quando se preparava para pouso no Aeroporto do Condomínio Terravista, que fica entre Trancoso e Arraial D’Ajuda, no sul da Bahia. Testemunhas afirmam que o bimotor explodiu após choque contra o solo, a uma distância de 200 metros da cabeceira da pista. O acidente provocou a morte de 14 pessoas.

 

Veja também:

link Especialistas apontam 3 hipóteses para acidente

 

A caixa-preta grava conversas do piloto, o que ajudará na investigação das causas do acidente. De acordo com a assessoria da Força Aérea Brasileira (FAB), os motores do avião foram encaminhados para São José dos Campos, interior de São Paulo, onde fica o Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial, ligado à FAB.

 

O sócio-fundador da empresa Arsenal Investimentos, Roger Ian Wright, a esposa dele, filhos do casal e netos estavam no voo.

Mais conteúdo sobre:
acidenteaviãoTrancoso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.