Perigo do colapso hoje no trânsito de São Paulo

Com a greve dos motoristas e cobradores de ônibus, hoje, na capital paulista, pelo menos 1 milhão de pessoas ficaram sem transporte coletivo, já que as lotações e o metrô são insuficientes para atender todos os usuários de transporte coletivo. Mais de cinco mil ônibus devem formar filas ao redor da sede da Prefeitura de São Paulo, no Palácio das Indústrias, região central da cidade. O rodízio de automóveis está suspenso por todo o dia de hoje. A manifestação acontece exatamente no dia em que a prefeita Marta Suplicy receberá a visita do primeiro ministro da França, Leonel Jospin, no Palácio das Indústrias.A situação do trânsito na cidade deverá se agravar a partir das 10 horas em toda a região central e nas principais avenidas da capital - como Prestes Maia e 23 de Maio. Os motoristas querem receber seus salários atrasados relativos ao mês passado. Os proprietários das companhias de ônibus alegam que a Prefeitura não repassou os recursos para o pagamento dos funcionários. A prefeita Marta Suplicy disse que a Prefeitura repassou os recursos e que "a cidade não será vítima de chantagem". As regiões mais afetadas pela greve de hoje são, por enquanto, as zonas Oeste e Leste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.