Peritos têm de fugir de destroços da Renascer

Dois técnicos da Promotoria da Habitação e Urbanismo do Ministério Público de São Paulo e um agente da Defesa Civil quase foram atingidos ontem por pedaços de tijolos que caíram de uma das paredes do que restou da sede da Igreja Renascer em Cristo, no Cambuci, região central. Os técnicos foram ao local fazer uma vistoria e tirar fotos a pedido da promotora Mabel Tucunduva.Os técnicos chegaram ao templo por volta das 13 horas. Cerca de 50 minutos depois, enquanto fotografavam os destroços no interior do templo, os tijolos caíram. "Pedi para irmos rápido porque o vento estava a 45 km/h", afirmou o agente da Defesa Civil Antonio Coelho. "Na mesma hora, pedaços soltos de tijolos caíram do paredão que fica na parte de trás da igreja", contou. Segundo Coelho, por pouco os tijolos não acertou ninguém. Ontem, além de tirar fotos da área interna e externa da igreja, os dois técnicos fizeram medições. Até as 20 horas, o MP não havia informado o motivo da vistoria nos destroços da Renascer. Os trabalhos dos funcionários da Diez Demolidora, responsável pela demolição, ficaram restritos à retirada das tesouras (estruturas que sustentam o telhado). Ontem mais uma foi retirada. Das 14 treliças, 3 foram removidas. As estruturas são colocadas no estacionamento anexo à igreja para que os peritos engenheiros do Instituto de Criminalística façam a perícia criminal que indicará o que causou o desabamento da estrutura. O telhado da igreja desabou no dia 18 e deixou nove mulheres mortes e mais de cem feridos.

Marcela Spinosa, O Estadao de S.Paulo

30 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.