Permanência temporária de Beira-Mar foi exigência de Alckmin

O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) confirmou hoje que a permanência do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, na penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes, será mesmo pelo período de 30 dias. "Atendemos a um apelo do governo federal", disse Alckmin, explicando que o governo paulista não se ofereceu para receber o criminoso, mas que ele aceitou ontem o pedido do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, com quem falou duas vezes ao telefone.De acordo com Alckmin, o governo federal não ofereceu, nem ele pediu alguma compensação ou contrapartida pela ajuda que está sendo dada. No entanto, ele admitiu ter exigido que Beira-Mar fique apenas 30 dias em Presidente Bernardes. Ele destacou que a transferência foi feita em "caráter emergencial" e que o governo paulista não pretende aceitar outros criminosos.O governador disse ainda que esse problema da violência comandada por Beira-Mar não pode ser encarado como exclusivamente do Rio de Janeiro, mas que é uma questão nacional.Alckmin lembrou também que no início de 2001, quando ocorreu uma série de rebeliões nos presídios paulistas, simultaneamente, foi necessário também a transferência de algumas lideranças do Primeiro Comando da Capital (PCC). "Na ocasião, transferimos dez dos líderes do PCC para o Rio Grande do Sul, e esse Estado aceitou os criminosos sem questionamento", comentou Alckmin, ressaltando que agora é a vez de São Paulo ajudar. Ele disse não temer ações do Comando Vermelho, facção liderada por Beira-Mar, em represália. "O caminho de São Paulo é o do enfrentamento. Não vamos recuar nessa luta."O governador garantiu que em Presidente Bernardes não haverá como o traficante comandar ações de violência, como ocorreu no início da semana no Rio de Janeiro. Alckmin disse também que falou hoje pela manhã com o prefeito do município, Humberto de Souza, e que ele está tranqüilo. "Ele disse apenas que seria necessário arrumar uma ponte na região", disse. O governador comentou que haverá reforço do policiamento na região do presídio, que fica afastado do centro da cidade.Para ajudar a entender a violência e o poder do tráfico no Rio de Janeiro: O Mapa do Tráfico no RioO tráfico de Beira-MarExército da Colômbia anuncia a prisão de Fernandinho Beira-Mar> Beira-Mar liga políticos e policiais ao tráfico> Fernandinho Beira-Mar é transferido para o Rio Beira-Mar lidera motim em Bangu e mata rivaisDe segurança máxima, prisões têm só o nomeBangu 1: 14 anos, 48 celas e muitas ´personalidades´A segurança máxima. Aqui e nos EUAUma penitenciária à prova de Beira-MarBeira-Mar: da infância pobre ao comando do tráficoVeja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.