Pérola Negra muda tudo para brilhar na avenida

O clima no barracão da Pérola Negra é de expectativa. A escola não teve medo de ousar para fazer bonito em seu retorno ao Grupo Especial. Os integrantes não vêem a hora de conferir o resultado na avenida. "Ficar no grupo de elite não é fácil, tivemos que fazer uma mudança radical na escola", diz Cícero Carlos da Silva, diretor de carnaval da agremiação. O primeiro ponto para a virada foi a troca do carnavalesco. A direção da Pérola convidou Jorge Freitas, tricampeão do carnaval paulistano pela Gaviões da Fiel e ex-Portela, para o posto. "Precisávamos de uma pessoa com experiência de campeão, que pudesse nos ajudar a evoluir", diz Cícero. Por sugestão do novo carnavalesco, o barracão da Pérola passou por adaptações. A reforma incluiu troca de toda parte elétrica e hidráulica, colocação de piso - que antes era de terra batida - e novas bancadas de trabalho para costura. Tudo para fazer fantasias mais luxuosas. As 23 alas da agremiação vão levar ao folião a história do comércio, desde a Antiguidade até hoje. O destaque do enredo é a abordagem de temas atuais, como pirataria e bolsa de valores. A narrativa começa com os fenícios, 1.200 anos antes de Cristo. "Eles foram o primeiro povo a fazer comércio no Mediterrâneo", conta Jorge. "O primeiro carro vai ser vermelho para representar o povo que primeiro usou corantes vermelhos naquela época." O abre-alas terá também detalhes dourados para lembrar a riqueza. Um salto no tempo transporta o samba para a época dos descobrimentos. A escola mostrará o enriquecimento dos portugueses no Brasil com o comércio dos nossos produtos naturais. Um carro alegórico vai mostrar as riquezas levadas daqui para a Europa. Nos tempos atuais, o foco é mostrar que o comércio pode ser usado para o bem e para o mal. Dois carros alegóricos mostrarão o embate. O primeiro, o Corsário do Mal, representa os problemas que o comércio pode trazer: pirataria, contrabando e exploração sexual. O carro Bolsa da Felicidade mostra que é a compra e venda de bens que move o nosso mundo. Funcionários da Bolsa de Valores de São Paulo(Bovespa) vão desfilar simulando seu trabalho diário. Foi feita uma parceria entre a Bolsa e a Pérola Negra. "Eles nos deram apoio financeiro para tentar popularizar o mercado de ações", diz Jorge. Para impressionar o público, a escola vai levar cavalos para a avenida, abrindo passagem para a Bolsa de Valores. "Eles serão dispostos como as bigas romanas, para homenagear o império das ações", explica. A Vila Madalena, bairro sede da escola, não foi esquecida. A boemia estará no Sambódromo. "Não dá para falar da Vila sem mencionar os bares, a vida noturna da região", conta o carnavalesco. A escola já havia desfilado por 10 anos no Grupo Especial até 2001, quando caiu para o Grupo de Acesso.

Agencia Estado,

09 Fevereiro 2007 | 13h29

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.