Douglas Magno / AFP
Douglas Magno / AFP

Personalidades reagem a rompimento de barragem em Brumadinho, MG

Entre elas, Bruno Gagliasso, Bruna Marquezine e Neymar postaram mensagens nas redes sociais de apoio às vítimas de tragédia

Ananda Portela, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2019 | 10h55

Personalidades brasileiras se manifestaram nas redes sociais depois do desastre provocado pelo rompimento de uma barragem da Vale, em Brumadinho, na última sexta-feira, 25. Segundo informações concedidas pelos Bombeiros, foram encontrados nove mortos, cerca de 300 desaparecidos e 189 resgatados. Na manhã deste sábado, 26, a Vale divulgou lista com 413 funcionários 'sem contato'.


Neymar utilizou uma ilustração dos artistas plásticos Os Gêmeos para prestar homenagem à cidade mineira. Fátima Bernardes postou a mesma arte para se solidarizar com o desastre.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Brumadinho ❤️ @osgemeos

Uma publicação compartilhada por EneJota neymarjr (@neymarjr) em

Na mesma rede social, Bruna Marquezine compartilhou os 200 desaparecidos divulgados na tarde de ontem, 25, além de números e endereços para doação em Minas Gerais. A atriz disse ainda não se tratar de um desastre ambiental, mas um caso de "negligência". "Não é desastre ambiental. É negligência, é ganância, descaso, é a certeza da impunidade. É cruel. É crime", escreveu a atriz na descrição do post. 

Bruno Gagliasso postou um vídeo que retrata uma correnteza que lama, mas que não se trata do rompimento da barragem em Brumadinho. Horas depois, o ator compartilhou a foto de uma camiseta do Brasil suja de lama acompanhada de um poema na descrição.

Fernanda Paes Leme, Giovanna Ewbank e Maria Gadú também se pronunciaram nas redes em soliedariedade à cidade de Brumadinho. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Não é acidente, é crime.

Uma publicação compartilhada por Fernanda Paes Leme (@fepaesleme) em

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

é crime!!!!!!!!!

Uma publicação compartilhada por || m a r i a g a d ú || (@mariagadu) em

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.