Perueiros podem fazer novos protestos

Os perueiros da capital são contra o cancelamento da licitação que aprovou 4.042 lotações no fim do ano passado e prometem realizar novos protestos se a Prefeitura de São Paulo insistir na idéia de anular o processo. A opinião foi manifestada hoje por diversos motoristas ouvidos pela Rádio Eldorado/AM. Eles disseram que, em alguns casos, os motoristas chegaram a gastar cerca de R$ 60 mil para ficar em condições legais de trabalho e participar da licitação. Além disso, garantem, precisam continuar operando para obter o sustento de suas famílias.O cancelamento do processo, realizado no final do ano passado, foi recomendado pela Procuradoria Geral do Município. Por sinal, a homologação da licitação das peruas foi o último ato público realizado pelo ex-prefeito Celso Pitta. Em seguida, surgiram várias denúncias de irregularidades no esquema, motivos que acabaram levando a procuradoria a sugerir a anulação do processo. A prefeitura deve decidir ainda hoje como será feito o cancelamento da licitação. Se isso realmente acontecer, a categoria promete que haverá protestos na cidade. Embora os motoristas afirmem que são contra atos de violência, mais um ônibus foi destruído esta madrugada, na zona oeste da capital. Outros perueiros também se manifestaram contrários à idéia de trabalhar em conjunto com as empresas de ônibus da cidade. Eles temem, entre outras coisas, que, a exemplo de motoristas e cobradores dos coletivos, os perueiros também fiquem sem receber seus salários em dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.