Perueiros protestam contra reestruturação de redes

Perueiros de linhas intermunicipais protestaram nesta segunda-feira de manhã nas ruas de Campinas, 95 quilômetros a noroeste de São Paulo, no primeiro dia de cadastramento para regulamentar o setor e durante a divulgação de umprojeto de reestruturação das redes de transporte de passageiros pelo secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.Pelo menos 200 vans foram estacionadas na Avenida Lix da Cunha e percorreram as principais ruas da cidade no final da manhã. Os perueiros protestaramcontra o que chamam de ?subordinação? às empresas de ônibus. De acordo com o novo projeto da Secretaria, os ônibus intermunicipais deixarão de sair dos bairros das cidades vizinhas com destino a Campinas.O transporte intermunicipal partirá de terminais e ônibus urbanos farão o trajeto entre os bairros e esses terminais. Segundo Fernandes, isso diminuirá os intervalos de tempo para os passageiros e o número de veículos. Eles irão percorrer corredores pré-definidos, contribuindo para melhorar o trânsito nas cidades.Nesse projeto, os perueiros atuariam como alimentadores dos terminais, a partirdos bairros, e fariam os trajetos entre as cidades em dias e horários de menordemanda, quando o número de passageiros não é suficiente para lotar um ônibus.Os alternativos seriam contratados pelas empresas como prestadores de serviços. Mas eles não gostaram da idéia e preferem manter a autonomia.?Pedi que eles avaliem melhor o projeto e apresentem, então, uma nova alternativa?,alegou o secretário, lembrando que o cadastramento vai até 17 de fevereiro.Atualmente, 372 peruas atuam no transporte intermunicipal das 19 cidades daregião metropolitana de Campinas, levando em média por dia 70 mil passageiros, conforme informações do Sindicato de Transportes Alternativos de Campinas e Região.Já a frota de ônibus é de 560 veículos, que carregam 110 mil pessoas por dia,conforme a Secretaria. Metade da frota e dos passageiros é proveniente de Sumaré, Hortolândia e Monte Mor, as primeiras a entrar no novo projeto por conta da alta demanda, conformeFernandes.Segundo ele, a frota dessas três cidades passaria de 59 ônibus para 45, com a instalação de um terminal em Monte Mor, outro em Hortolândia e dois em Sumaré. ?O projeto é de racionalização do transporte metropolitano?, comentou Fernandes, explicando que foi feito um amplo levantamento do sistema.Ele explicou que ainda não há prazo para a instalação das novas medidas, que aindadependem de análises e verbas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.