Pesquisa aumenta a pressão sobre reunião da oposição

Os oito governadores do PSDB reúnem-se hoje em Belo Horizonte, sob o impacto dos 73% de aprovação pessoal obtidos pela presidente Dilma Rousseff na pesquisa CNI/Ibope. Em busca de bandeiras que sustentem o discurso da oposição em tempos de governo bem avaliado e ainda amargando o velho racha partidário entre Minas e São Paulo, os tucanos devem definir programas comuns que possam servir de vitrine do partido para o eleitor.

, O Estado de S.Paulo

02 Abril 2011 | 00h00

O objetivo formal da reunião é unificar o discurso do PSDB a partir de programas e políticas sociais que deverão estar presentes em todos as administrações estaduais tucanas. Esses programas deverão ser batizados com o mesmo nome em todos os Estados governados pela legenda, como parte da estratégia de criar uma marca da administração do PSDB que ajude a desenhar a cara do partido Brasil afora.

O maior desafio do tucanato, contudo, é pôr fim à guerra interna entre serristas e aecistas afoitos para dar visibilidade ao projeto mineiro de poder para 2014. O que está em jogo é a partilha do comando nacional do partido que será renovado em maio.

Como isso será feito no conselho político do PSDB, o governador do Pará, Simão Jatene, vai sugerir na reunião que o colegiado seja amplo e represente todo o Brasil, fugindo do dilema Minas versus São Paulo. A saída, dirá Jatene, é um conselho com a presença dos oito governadores (RR, PA, AL, GO, TO, MG, SP e PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.