Pesquisa derruba mitos sobre eleitores

Os cruzamentos da pesquisa Ibope/Estado/Rede Globo acabam com mitos e lugares comuns sobre o comportamento dos eleitores. Ilações feitas com base apenas nas intenções de voto total dos presidenciáveis não se confirmam quando examinadas de perto. Em pesquisas, os fatos se escondem nos detalhes.

José Roberto de Toledo, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2010 | 00h00

É comum ler em blogs e ouvir da boca de analistas e políticos que "somando-se a intenção de voto espontânea de Dilma Rousseff com a de Lula", a pré-candidata do PT teria na verdade 31% de eleitores consolidados. Na prática, a realidade é outra.

Apenas metade dos eleitores que declaram espontaneamente que votariam em Lula escolhem Dilma quando confrontados com a lista de candidatos. Pouco menos de um terço cita o nome de José Serra (PSDB).

Do mesmo modo, nem todo mundo que declara preferência pelo PT é eleitor de Dilma. Proporcionalmente, menos simpatizantes petistas declaram voto na pré-candidata do partido do que simpatizantes do PSDB dizem votar em Serra. Mas, como há quase 5 vezes mais petistas do que tucanos, os 71% de votos petistas de Dilma contam muito mais do que os 81% de votos tucanos de Serra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.