Pesquisa mostra: só 41% dos brasileiros gostam de carnaval

O Rei Momo não é tão popular quanto se imagina. Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e Instituto Sensus demonstrou que somente 41,2% dos brasileiros gostam de carnaval, enquanto 57,4% não querem nem ouvir falar do assunto. Realizado entre os dias 4 e 6, o levantamento ouviu 2 mil pessoas, em 195 municípios. O professor de cultura popular da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Alberto Ikeda considera que a superexposição do tema nos meios de comunicação dá a impressão de que o Brasil é o País do Carnaval. "Atribuo esse índice baixo à questão da moral. Como o carnaval expõe o nu, é combatido por grupos religiosos mais conservadores, que cresceram muito nos últimos 20 anos." Ao contrário dele, os carnavalescos se confessaram " surpresos" com o pequeno número de brasileiros que gosta das festividades. "Quem não gosta de carnaval é porque nunca participou de um desfile", afirmou o carnavalesco da Unidos do Peruche, Mauro de Oliveira. Seu colega da Acadêmicos do Tucuruvi, Marco Aurélio Ruffin, acredita que, se a pesquisa fosse feita na periferia das grandes cidades, o resultado seria diferente. "Imaginei, levando em conta minha realidade particular, que 50% dos brasileiros gostassem da festa." A ascensorista Karina Aparecida Souza, de 20 anos, se enquadra na categoria dos que detestam folia. "Fico em casa ou a família viaja para algum retiro. Esta é uma festa muito violenta", criticou. Para o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, a surpresa foi constatar um número expressivo de brasileiros que gostam do evento. O vendedor Daniel Burgonove, de 22 anos, por sua vez, é um entusiasta do assunto. "O carnaval tem alegria, mulheres lindas e muita festa", disse. A pesquisa, realizada mensalmente, mede os níveis de satisfação dos brasileiros. Como foi feita em fevereiro, o carnaval entrou como um tema de conjuntura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.