Pesquisa reflete comparação de Lula com FHC, diz Berzoini

O presidente nacional do PT, deputado federal Ricardo Berzoini, afirmou que os dados da pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta terça-feira refletem a avaliação que a população faz do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da administração de seu antecessor Fernando Henrique Cardoso. Berzoini afirma que, a performance de Lula com 44,1% das intenções de voto no primeiro turno serve de prova de que a população está satisfeita com seu governo. Já a performance do tucano Geraldo Alckmin, que obteve 27,2%, enfrentaria um impacto da experiência atravessada pelos eleitores com o governo do tucano Fernando Henrique Cardoso, na avaliação do petista."Não se trata de algo objetivo, mas, a grosso modo, isso reflete o tipo de experiência vivida", disse Berzoini, destacando que os dados de aprovação do governo Lula indicados na pesquisa ajudam a confirmar essa teoria. Os eleitores que avaliaram negativamente o governo totalizaram 19,3%, abaixo dos 22,2% obtidos na pesquisa anterior. Já a avaliação regular saiu de 37,5% para 38,5%. "Se nós observarmos a relação entre o voto e a avaliação do País, temos algo muito próximo", afirmou Berzoini. "O segundo colocado (Alckmin) representa uma experiência que o povo já viveu. E sofreu muito com esta experiência", acrescentou.O deputado assegurou que o PT não trabalha com a idéia de vencer a eleição no primeiro turno, apesar de existirem indícios que permitam não descartar totalmente esta possibilidade. Avanço de AlckminAo comentar especificamente o avanço obtido pelo candidato tucano na pesquisa, Berzoini disse que o crescimento já era esperado, pois a população passa a ter um conhecimento maior dos candidatos na medida em que a eleição se aproxima.Apesar das colocações, Berzoini voltou afirmar que o PT tem trabalhado com cautela a avaliação das pesquisas eleitorais. Segundo ele, a campanha acabou de começar, abrindo espaço para muitas mudanças até a chegada da eleição, em outubro. "Estamos trabalhando com muita tranqüilidade a leitura de pesquisas pois achamos que este jogo ainda está muito no começo", disse. O presidente do PT avalia que, considerando a tendência de polarização da eleição presidencial, um quadro mais claro da performance dos candidatos só ficará visível por volta do meio de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.