Pesquisadores reivindicam plano de carreira

Cerca de 70 manifestantes do Movimento pela Valorização dos Institutos de Pesquisa, reuniram-se na tarde desta terça-feira com faixas e cartazes na frente do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual, para reivindicar a criação de um plano de carreira para a categoria dos pesquisadores.Segundo a pesquisadora Elizabeth Cruz de Carvalho, que é técnica de apoio à pesquisa, há hoje 8.400 funcionários que reivindicam o benefício.Uma comissão dos pesquisadores foi recebida pelo secretário da Casa Civil, João Caramez, para apresentar uma proposta de projeto para o plano de carreira.Acompanhavam o encontro os deputados estaduais Edmur Mesquita (PSDB), Maria do Carmo Prionti (PT) e Jamil Murad (PCdoB).De acordo com assessores da Casa Civil, ficou decidido que a comissão, em conjunto com representantes do governo, irá negociar o reajuste salarial dos pesquisadores e viabilizar a proposta de projeto de lei do plano de carreira.Foi estabelecido um prazo para o término das negociações - dia 5 de novembro -, quando a proposta de projeto será apresentada ao governador Geraldo Alckmin (PSDB).Se aceito pelo Executivo, o projeto deverá seguir para a Assembléia, quando deverá ser votado. Os pesquisadores-técnicos não foram contemplados com o aumento de 7% dado aos servidores, justamente porque reivindicam um plano de carreira para adequar salários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.