Pessoas ligadas a pastor são presas no Rio

Agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) cumpriram ontem três mandados de busca e apreensão em endereços relacionados ao pastor Marcos Pereira da Silva. O religioso se tornou uma figura conhecida e polêmica por suas constantes intervenções em rebeliões e motins ocorridos no sistema prisional fluminense. Em dois dos endereços, um homem foi preso e centenas de fitas de vídeo, apreendidas. A Secretaria de Segurança Pública não informou se o religioso será indiciado por associação ao tráfico.O pastor Marcos, como é conhecido, preside a Assembléia de Deus dos Últimos Dias, fundada por ele e seu irmão, o pastor Robson, em 1991. Em maio, quando 30 detentos foram chacinados na Casa de Custódia de Benfica, ele participou das negociações com os presos e foi considerado essencial pelo secretário estadual de Administração Penitenciária, Astério Pereira dos Santos, para que a tragédia não fosse pior.Em um sítio pertencente ao pastor, localizado em Tinguá, na Baixada Fluminense, os policiais prenderam Anderson Pegado, contra quem havia três mandados de prisão da Vara Criminal de Nova Iguaçu, um por estupro, outro por roubo e o terceiro por atentado violento ao pudor. Na sede da igreja, em São João de Meriti, também na Baixada, os policais apreenderam as fitas, que serão periciadas com o objetivo de identificar criminosos que freqüentam os cultos do pastor Marcos. Ontem à noite, ainda não havia informações sobre a incursão no terceiro endereço, a casa de um pastor identificado como Renato.A Assembléia de Deus dos Últimos Dias atua principalmente entre a população carcerária, parentes de presos e ex-presidiários. As irmãs do traficante Márcio Nepomuceno dos Santos, o Marcinho VP, são fiéis da congregação. Por isso, o pastor Marcos já foi apelidado de "pastor do CV", em referência à facção criminosa Comando Vermelho. O religioso, porém, nega ligação com a facção, e diz que criminosos de outras quadrilhas pertencem a sua igreja.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.