Pet shops são alvo de campanha

A Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (Suipa) está lançando uma campanha contra a venda de animais em pet shops. A entidade alega que os bichos ficam confinados, sofrem maus tratos e propõe o boicote às lojas que comercializam os animais. A partir da semana que vem, os técnicos da entidade visitarão essas lojas. As que se enquadrarem nos padrões da Suipa receberão o selo "Pet Shop Legal Não Vende Animal" e terão seus endereços divulgados no site www.suipa.org.br. O lançamento da campanha coincide com o anúncio de que o Ibama pode autorizar a venda de animais silvestres em pet shops a partir do ano que vem."Se a venda de cães, gatos, peixes e pássaros já é complicada, imagina a de cobras e iguanas. Vai ter muita gente comprando cobra para ser excêntrico e abandonando depois", acredita a presidente da Suipa, Izabel Cristina Nascimento. Ela diz que é comum a entidade receber denúncias de maus tratos em pet shops e critica ainda a comercialização de animais coloridos artificialmente, como passarinhos e poodles, além da venda de canários e peixes para briga. "Para o Natal, as lojas estavam vendendo poodles vermelhos com unhas pintadas de verde", contou.A presidente da Suipa escolheu o início do ano para lançar a campanha porque é entre o Natal e o Carnaval que as pessoas costumam abandonar seus animais. "Elas viajam e não têm com quem deixar os bichos. Na Páscoa, o filho pede outro bichinho e os pais recorrem aos pet shops". Hoje, a Suipa abriga 6 mil cães, 500 gatos, além de cabritos, cavalos, furões e cobras abandonados por seus donos. Izabel defende que as pessoas adotem animais, em vez de comprá-los.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.