Petista e tucano divergem sobre alta da taxa de juros

Pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff defendeu ontem a alta nos juros como forma de combate à inflação. O presidenciável do PSDB, José Serra, criticou a elevação de 0,75 ponto porcentual na taxa básica, anunciada anteontem pelo Banco Central.

Gustavo Porto, Ribeirão Preto, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2010 | 00h00

Na Agrishow, em Ribeirão Preto, a petista criticou o governo do PSDB, sem citar nomes. "Nós não vamos ser complacentes com a inflação em momento algum. Esse compromisso é meu também, com a estabilidade que no Brasil foi conquistada a duras penas."

Para Dilma, o valor do salário dos trabalhadores é garantido quando se garante que os preços não subam. "Ninguém vai ganhar as eleições com o malabarismo que já fizeram no passado."

José Serra, que participou da mesma feira, se irritou quando incitado a comentar sobre o aumento da taxa de juros e a comparar os governos de seu partido e do PT. O tucano disse que vai se debruçar sobre a questão, se for eleito, e que não entende o motivo de "entrar governo, sair governo" e as taxas no Brasil serem as mais altas do mundo.

Sobre a promessa de reduzir preço dos pedágios no Estado, feita pelo senador Aloizio Mercadante (PT), Serra disse que não perderia tempo comentando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.