Petista pede a aliados que ''não se acomodem''

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, pediu a seus aliados que não se acomodem caso as sondagens de preferência do eleitorado se mostrarem favoráveis a ela. "Ninguém ganha eleição com pesquisa", disse, em Porto Alegre, ainda sem saber os resultados que seriam divulgados à noite - e com a ressalva de que não comentaria números.

Elder Ogliari / PORTO ALEGRE, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2010 | 00h00

Dilma foi colher adesões de políticos que não estão com o PT na disputa estadual. Desta vez sem as companhias do presidente Lula e do candidato ao governo Tarso Genro, como no comício de 29 de julho, a candidata recebeu o apoio de cerca de 120 prefeitos do Estado, ligados ao PT e também ao PDT, PMDB, PP, PSB e PTB, num ato organizado pelo Movimento Pluripartidário de Prefeitos e Prefeitas Pró-Dilma, na sede da Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs), que reuniu cerca de 500 pessoas.

À tarde, Dilma foi à sede do PDT, ao qual foi filiada por 20 anos, para receber o apoio do partido num ato político com aproximadamente 300 pessoas. O PDT gaúcho está com José Fogaça (PMDB), adversário de Tarso na disputa estadual. A candidata também justificou alianças com diversas siglas como necessárias à complexidade do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.