Petistas acusados de compra do dossiê depõem na PF em Brasília

O procurador da República, Mário Lúcio Avelar, e o delegado Diógenes Curado, de Cuiabá (MT) iniciaram em Brasília, nesta sexta-feira, a tomada dos depoimentos de três petistas envolvidos na tentativa de compra do dossiê que poderia incriminar o candidato tucano ao governo de São Paulo, José Serra.São ouvidos Jorge Lorenzetti, ex-integrante da campanha do presidente Lula para a reeleição, Expedito Veloso, ex-diretor do Bando do Brasil, e Osvaldo Bargas, ex-secretário do Ministério do Trabalho. O primeiro a depor, desde cerca das 10 horas, é Lorenzetti, na Superintendência da PF.Para a tarde estão marcados, também na superintendência da PF, depoimentos de Expedito Veloso e Oswaldo Bargas.Diógenes Curado quer saber se o ex-diretor do Banco do Brasil Expedito Veloso e o ex-secretário do Ministério do Trabalho Oswaldo Bargas confirmam ou não a versão de que os papéis e imagens do dossiê "nada contêm de novo" e "não representam prova nenhuma".Além de checar a versão de Vedoin sobre o dossiê, Diógenes Curado definiu como prioridade descobrir a origem do dinheiro. O delegado disse que pretende identificar a rede de pessoas, empresas e partidos envolvidos na arrecadação do valor e na compra e divulgação dos documentos do dossiê.Os inquéritos são fechados, correm sob segredo de Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.