Petistas apóiam saída de Berzoini do comando de campanha

A permanência do presidente do PT, Ricardo Berzoini, na coordenação da campanha a reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva provocou "indignação" em petistas. Setores do PT passaram a defender a saída de Berzoini da campanha depois que ele admitiu que sabia do encontro no qual o petista Osvaldo Bargas, que foi secretário do Ministério do Trabalho, ofereceu à Revista Época o dossiê com supostas denúncias contra o tucano José Serra. "O coordenador sabia de uma atitude que ia prejudicar o presidente e se calou. Ele tinha que zelar pelos interesses do partido e da campanha do presidente Lula, mas não fez isso", afirmou o deputado Walter Pinheiro (PT-BA). Para o deputado, "no mínimo", Berzoini se omitiu. "Ele tinha a informação e sua obrigação como dirigente partidário era detonar essa operação. Quem apura é a Polícia Federal, o Ministério Público e o Judiciário", continuou Pinheiro. "Ele criou um problema e tem de assumir a responsabilidade dele e não contaminar o partido. O mensalão não serviu de lição?", questionou.Um grupo de deputados está analisando a elaboração de um documento pedindo a apuração dos fatos e uma atitude interna no partido contra os envolvidos na operação. Pinheiro defende o afastamento de todos eles do partido. O deputado afirmou que já conversou com outros deputados, como Mauro Passos (PT-SC), Doutor Rosinha (PT-PR) e Paulo Rubem Santiago (PT-PE) sobre a elaboração de uma nota conjunta. A principal dificuldade é que os deputados estão em campanha política em seus Estados. Os deputados formam um grupo mais a esquerda do PT do que o do presidente da sigla, Ricardo Berzoini. Pinheiro também já conversou com integrantes da Executiva do partido defendendo que seja tomada uma atitude contra Berzoini.Pinheiro avalia que a permanência de Berzoini na coordenação da campanha e presidência do partido vai desgastar o PT. "Estamos cansados disso. Não dá para ficar pagando por cada maluquice que cada um acha que pode fazer. O partido não tem direção", protestou Pinheiro. O deputado afirmou ainda que o esclarecimento da origem do dinheiro passou a ser mais importante do que as denúncias contra os sanguessugas. "São tão imbecis que são capazes, de forma inusitada, de apagar o escândalo dos sanguessugas", disse Pinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.