Petistas pedem apuração do caso ao Ministério Público

Líderes do PT na Câmara protocolaram representação no Ministério Público Federal em que pedem a investigação de possível ilegalidade e improbidade na conduta do presidenciável José Serra (PSDB) e do ex-diretor de Engenharia da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto.

Andrea Jubé Vianna / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2010 | 00h00

A peça, assinada pelo líder do PT na Câmara, Fernando Ferro (PE), e pelo líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), aponta indícios de desvio de dinheiro público das obras do Rodoanel para formação de suposto caixa 2 da campanha tucana.

Apontado pelo PT como "homem de confiança do PSDB", Paulo Preto teria arrecadado R$ 4 milhões para a campanha de Serra, antes do lançamento oficial das candidaturas, e teria desaparecido com o dinheiro.

Ele seria responsável pela principal vitrine do governo Serra, a construção do Rodoanel, orçada em R$ 5 bilhões, competindo-lhe as medições das obras, determinando quanto e quando as empreiteiras receberiam. A representação cita relatório de auditoria do TCU que aponta irregularidades na obra, como a antecipação de pagamentos dos contratos com empreiteiras.

O PT transformou a denúncia contra o ex-assessor de Serra como trunfo para proteger a presidenciável Dilma Rousseff das denúncias contra a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra, que foi seu braço direito no governo. Para o vice-líder do PSDB, senador Álvaro Dias (PR), a iniciativa do PT é eleitoreira. "Quando acontece assim, no auge da decisão eleitoral, fica sob suspeição", criticou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.