Petistas se armam contra tom mais agressivo dos adversários

A divulgação de um comunicado da campanha do PT sobre a militância de Dilma Rousseff durante o regime militar, esclarecendo que ela "jamais teve qualquer ligação com sequestros, assaltos a bancos ou ações armadas" está relacionada a uma avaliação de que os adversários serão cada vez mais violentos no esforço de levar a disputa para o segundo turno, apesar de as pesquisas indicarem vitória de Dilma em 3 de outubro. Os petistas divulgaram até imagem da ex-ministra com o presidente Barack Obama (foto) para desmentir que ela esteja proibida de entrar nos Estados Unidos. Na campanha de José Serra, porém, há divergências sobre ser mais ou menos agressivo na reação à quebra do sigilo fiscal de tucanos. Também se discute como estimular o voto em Marina Silva (PV) sem gerar fuga de eleitores do tucano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.