Petrobras remove famílias de área de oleoduto

A Transpetro, subsidiária da Petrobras, e a Prefeitura Municipal de Maceió firmam hoje um acordo para a transferência de 350 famílias, previamente cadastradas, da comunidade de Jaraguá para casas situadas em área urbanizada na capital. Com o acordo, a Petrobras destina à prefeitura municipal R$ 1,4 milhão, a serem pagos em duas parcelas: a primeira, em seqüência à remoção das famílias, que deverá ser imediata, e a segunda, após a conclusão da urbanização da área pela prefeitura, com prazo previsto de 90 dias.As casas da localidade de Jaraguá foram assentadas ao longo dos anos em áreas próximas ao oleoduto Pilar/Base de Maceió, operado pela Transpetro. Ao todo serão removidas 40 famílias que vivem sobre a faixa de dutos, 80 na faixa "não edificante" (a cerca de 15 metros do oleoduto) e 230 em áreas circunvizinhas.O convênio será assinado pela prefeita Kátia Born e o diretor de Dutos e Terminais da Transpetro, Wong Loon. O acordo faz parte do Programa de Excelência em Gestão Ambiental e Segurança da Petrobras, que prevê, entre outras medidas, o gerenciamento de risco das populações que vivem no entorno das unidades operacionais e das faixas de dutos. No ano passado a Transpetro assinou convênio semelhante no município de Madre de Deus (BA) e está apoiando a prefeitura de São Bernardo do Campo (SP) na desocupação do entorno da faixa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.