Pezão: Prioridade, antes de remoção, é levar alimentos a quem está isolado

Vice-governador do Rio disse que é 'difícil achar áreas seguras' na Região Serrana após série de desmoronamentos

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2011 | 12h59

RIO - O vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, em Nova Friburgo desde a semana passada, afirmou, em entrevista à TV Globo, que a prioridade neste momento, até mais do que remover pessoas de áreas de risco, é levar água e alimentos a quem ainda está em áreas isoladas.

 

Veja também:

linkPrefeitura briga com Igreja por doações

linkExército começa a erguer pontes provisórias

linkMoradores cogitam voltar a construir em área arrasada

linkGoverno lança sistema de alerta que já deveria estar pronto

blog Gabeira: Faltaram projetos e decisão política

mais imagensGALERIA - Grandes imagens da tragédia

mais imagensGALERIA 2 - Imagens de destruição e desespero

 

E também reconstruir o centro da cidade, bastante afetado pelas chuvas. "Temos que chegar às regiões isoladas. Se faltar algum lugar, será só numa área rural. E também temos de oxigenar a cidade, reconstruir o centro, onde temos notícias de 11 pessoas soterradas."

 

Pezão disse ainda que está percorrendo Nova Friburgo em busca de áreas planas onde possam ser construídas residências para quem perdeu suas casas. "É muito difícil achar áreas seguras. É como procurar agulha num palheiro."

De acordo com a Polícia Civil do Rio, chega a 676 o número de mortos na região serrana do Estado. São 277 mortes em Teresópolis, 319 em Nova Friburgo, 19 em Sumidouro, 56 em Itaipava, 4 em São José do Vale do Rio Preto e 1 em Bom Jardim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.