PF aponta o tráfico humano como uma das causas

Uma das causas apontadas para o desaparecimento de brasileiros no exterior é o tráfico humano. Dados da Polícia Federal mostram que 59 pessoas foram presas no ano passado tentando levar pessoas para atuar no exterior - tanto para exploração sexual como para trabalho escravo. O número é 195% superior ao de 2007, quando 20 pessoas foram presas. "Não necessariamente é um aumento nas atividades criminosas, mas a legislação para esse crime é recente, então nossa atuação está cada dia mais abrangente", diz o delegado da PF Márcio Lemos.ONGs estimam que haja 200 rotas de saída para o tráfico humano no Brasil. Umas das principais é a que alicia pessoas em Belém (PA) e as leva ao Suriname. Os homens viram escravos nos garimpos e as mulheres se prostituem. A rota que leva mulheres para a Europa sai principalmente do Aeroporto Internacional de Cumbica. Elas vêm do Norte e Centro-Oeste. "Esse biotipo moreno e de traços indígenas é bastante procurado por estrangeiro", diz Priscila Siqueira, do Serviço à Mulher Marginalizada. Destinos mais comuns:Espanha, Holanda, Portugal e Itália.O pastor da Comunidade Cristã de Amsterdã, na Holanda, Marcos Viana, conta que muitas mulheres procuram a entidade para tentar escapar da prostituição. "Tivemos uma menina que achava que seria recepcionista de hotel, como prometido. Ela tomou um susto e caiu de cama", disse Viana, por e-mail, ao Estado. Ela fugiu após os primeiros programas.As ONGs reconhecem que as quadrilhas estão cada vez mais organizadas e as ameaças dificultam as denúncias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.