PF apreende 4 mil comprimidos de ecstasy no MA

A Polícia Federal apreendeu na noite desta terça-feira, em Imperatriz, no Maranhão, 4 mil comprimidos de ecstasy que seriam distribuídos em São Paulo. A droga estava na mala de G.S.P., de 17 anos, que tinha saído de ônibus de Manaus.O entorpecente só foi descoberto por causa de uma outra apreensão. Policiais encontraram em Belém 52 tabletes de cocaína pura escondidos em 50 sacas de milho. Foram presos José Nilson Matos da Silva, Raimundo Edvan Barredo Pereira, José Pereira Lacerda e Deusueth Rodrigues da Cruz.Durante as investigações, os agentes ficaram sabendo que mais drogas estariam sendo levadas para Imperatriz. "Recebemos a informação de que outros 10 quilos de cocaína estavam seguindo para lá, mas na verdade encontramos ecstasy", diz o superintendente da PF no Pará, Geraldo Araújo. "As apreensões, no entanto, não estão relacionadas."Segundo Araújo, o ecstasy vinha da Colômbia e pertence a Gilberto Nascimento Modesto, que mora em São Paulo. Com o menor G.S.P. foram detidos o colombiano Jesus Quintero Silva, Maria de Nazaré dos Santos Rodrigues e o próprio Modesto."É a primeira vez na Amazônia que temos contato com ecstasy. Por causa da vigilância nos aeroportos do Sul, os traficantes estão mudando a rota para o Norte", afirmou o superintendente da Polícia Federal.O vendedor sul-africano Hardy Henry Richter, de 32 anos, foi preso nesta terça-feira à noite no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos. Ele levava 3,5 quilos de cocaína num short de lycra, vestido sob as calças. Richter viajaria para Johannesburg, na África do Sul.Em São José dos Campos, a polícia apreendeu porções de crack e cocaína em balas e gomas de mascar. Seis pessoas foram presas. Segundo o delegado Mário de Almeida, titular da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes, 50 policiais participaram da ação, por volta das 6 horas, no bairro Monte Castelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.