PF apreende 675 quilos de cocaína

Várias operações da Polícia Federal realizadas neste sábado, em São Paulo e noMaranhão, resultaram na apreensão de 675 quilos de cocaína e na prisão de umaquadrilha internacional formada por colombianos, franceses, belgas e brasileiros. Em São Paulo a droga estava espalhada em depósitos e até em estacionamentos. Dentro de um caminhão com fundo falso, estacionado na Rua Padre Adelino, na zona leste, os policiais encontraram 261 quilos da droga. O caminhão estava sob os cuidadosdo colombiano Pablo Henrique Toro Alarte. Em um depósito na Vila Ema dois brasileiros forampresos com 93 quilos da droga. Em um sítio em Cabreúva, no interior do Estado, apolícia apreendeu mais 113 quilos de cocaína. Segundo informações divulgadas pela Polícia Federal, a droga vinha da Colômbia e erajogada de aviões em pistas clandestinas na região de Cabreúva. A droga era escondidaposteriormente em caminhões e enviada a diferentes portos brasileiros, de onde eram embarcadas para a Europa. Em outra operação realizada em São Luís, no Maranhão, a polícia apreendeu 208 quilosde cocaína. Segundo o porta-voz da Polícia Federal em São Paulo, delegado GilbertoTadeu, a droga descoberta em um veleiro seria transportada até o estreito de Gibraltar, de onde seguiria para a Espanha e França. Nessa operação foram presos um casal deorigem belga e dois franceses. Os policiais suspeitam que a droga apreendida noMaranhão pertença a mesma organização colombiana presa em São Paulo.Dados oficiais da Polícia Federal dão conta que 142 toneladas de maconha, 7,8toneladas de cocaína e 86,6 quilos de craque foram apreendidas no ano passado.Outros 673,3 quilos de pasta para produção de cocaína também foram apreendidosdurante o ano de 2001. O Brasil, que até meados da década passada era considerado um importante ponto nasrotas do narcotráfico entre os países andinos e Europa, se transformou em um grandeconsumidor de drogas, especialmente o eixo Rio-São Paulo. A Organização das NaçõesUnidas calcula que um milhão de brasileiros utilizam drogas, o que coloca o país na posiçãode segundo maior consumidor de substâncias proibidas da América, depois apenas dosEstados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.