PF apreende celulares na cela de Beira-Mar

Dois telefones celulares foram encontrados na cela do traficante Fernandinho Beira-Mar, na Superintendência Regional do Departamento da Polícia Federal (DPF), em Brasília. Durante operação de rotina no Núcleo de Custódia, a polícia encontrou os dois aparelhos - um Nokia e um Motorola - e mais dois carregadores escondidos num buraco da parede do banheiro de Beira Mar. De acordo com o superintendente regional do DPF no Distrito Federal, Euclides Rodrigues da Silva Filho, Beira-Mar reconheceu que os aparelhos eram seus, mas se recusou a dar detalhes. "Ele não quis dizer como conseguiu o telefone; apenas ficou gozando da polícia dizendo que ´o negócio dele foi para o ralo´", explicou o superintendente.A operação contou com a participação de aproximadamente 25 policiais do Comando de Operações Táticas da PF. Na última revista - que ocorreu na sexta-feira passada - também foi localizado um celular, desta vez em outra cela. Os telefones foram encaminhados para perícia. A PF fará o rastreamento das ligações realizadas pelo traficante. Euclides da Silva informou ainda que a PF já abriu inquérito para apurar irregularidades no Núcleo de Custódia. "Nós reforçamos a segurança para coibir esse tipo de ato; o que queremos agora é corrigir as falhas", completou.O uso de celulares por Beira-Mar, dentro da cela da PF, não é novidade. Em julho, por meio de escuta do telefone do traficante, a PF descobriu que ele poderia ter pago US$ 200 mil a um policial paulista para que facilitasse a fuga dos traficantes Leomar de Oliveira Barbosa, o Leozinho, e Marcelo da Silva Soares, no início do ano em São Paulo. Em conversa gravada pela PF, Beira-Mar teria dito que tinha dívida de gratidão com Leozinho e que pagou para libertá-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.