PF apreende dinheiro falso no Pará

Agentes da Polícia Federal de Marabá, no sul do Pará, prenderam, num hotel daquela cidade, dois acusados de promover um derrame de notas falsas de R$ 50 na região. Com eles foram apreendidos R$ 232 mil que ainda seriam espalhados pela cidade. Segundo a PF, os dois seriam integrantes de uma quadrilha que age nos Estados do Pará, Goiás e no Distrito Federal. Os falsários, cujos nomes não foram divulgados para "não atrapalhar as investigações", afirmaram em depoimento que as cédulas que estavam com eles são de dinheiro ?clonado? no Banco Central, em Brasília. E acrescentaram que venderiam as notas pela metade do preço. Para chegar à dupla de falsários, a PF recebeu várias denúncias anônimas de pessoas que haviam sido enganadas em lojas e bares de Marabá. No hotel onde eles estavam hospedados os funcionários informaram que em nenhum momento desconfiaram da atividade criminosa dos dois homens. É provável que os acusados tenham pago suas despesas no hotel com notas falsas. O empresário Elton Fabrizzi acredita que a quadrilha vem espalhando cédulas falsas no sul do Pará há pelo menos seis meses. Ele disse que nos municípios de Conceição do Araguaia, Redenção e Parauapebas, vários comerciantes foram enganados em compras pagas com dinheiro falso. "Não é só nota de R$ 50 com aspecto duvidoso, mas até nota de R$ 100 já apareceu por aqui", contou Fabrizzi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.