PF apreende jóias, dinheiro e carros em 70 buscas

Mais de 130 anéis, 40 pulseiras, correntes de ouro, dezenas de relógios de marcas de luxo, cheques e dinheiro em espécie - e até um veleiro de 41 pés batizado com o nome "Bandida", de propriedade de um dos advogados presos. Estes são alguns dos itens incluídos na lista de bens apreendidos pela Polícia Federal, na Operação Hurricane (furacão, em inglês), ao cumprir as 70 ordens de busca e apreensão expedidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). No escritório do desembargador José Eduardo Carreira Alvim, do TRF da 2ª Região, por exemplo, foram apreendidos mais de 500 cheques, a maioria de R$ 200,00 que somam mais de R$ 100 mil, relativos ao "pagamento de cursos". Juntamente com os cheques estavam dezenas de recibos. Além de desembargador, Alvim, preso na operação, é também professor de Direito e autor de vários livros. No caso do desembargador José Ricardo Siqueira Regueira, colega de Alvim no TRF, foi apreendida uma pistola Taurus 380 e 150 cartuchos de munição, além de munição para armas calibre 22 e um carregador para uma pistola 9 mm. Enquanto isso, na residência do delegado-chefe da polícia federal em Niterói (RJ), Carlos Pereira da Silva, a apreensão incluiu US$ 66,2 mil em espécie, outros R$ 19,2 mil, também em dinheiro, quatro pistolas de várias marcas, um revólver e muita munição. Na residência de Luiz Paulo Mattos e Susie Mattos, esta última corregedora da Agência Nacional do Petróleo (ANP), foram apreendidos US$ 12 mil em espécie, além de dois revólveres. No total, 25 armas foram reunidas pela PF, das quais 18 eram pistolas e 7 eram revólveres de diversos calibres. As informações são de O Estado de S.Paulo.

Agencia Estado,

17 Abril 2007 | 12h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.