PF apreende máquinas de jogos de azar em operações

Cerca de mil máquinas caça níqueis foram lacradas e apreendidas em sete bingos da região do Vale do Paraíba nesta terça-feira, 12. A Operação Las Vegas, feita pela Polícia Federal (PF), Ministério Público e Procuradoria da República, durou cerca de 10 horas. Pelo menos 35 policiais e procuradores estiveram em sete bingos de São José dos Campos, Jacareí e Caçapava. Em todos as máquinas não tinham documentação e segundo os promotores entraram no país de forma ilegal. "Foi retirado todo dinheiro das máquinas e apreendido, e os equipamentos ficaram sob a responsabilidade dos proprietários dos bingos", informou o promotor de Justiça Marcelo Negrini. "A importação e exploração de máquinas caça-níqueis é ilegal, caracteriza crime de contrabando e descaminho", disse o procurador da República, Ricardo Baldani Oquendo.De acordo com os policiais todos os caça-níqueis vão passar por perícia. "Se as casas tiverem liminares judiciais para atuar com os caça-níqueis os equipamentos serão deslacrados, senão, terão que destruídos", disse Negrini.Operação BingoNuma operação conjunta da PF, Receita Federal e Ministério Público Federal, foi deflagrada a terça-feira, 12, no Recife, a Operação Bingo, com apreensão de cerca de mil máquinas de jogos de azar em oito casas de bingo e jogos eletrônicos. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão por suspeita de que os estabelecimentos estivessem contrabandeando as máquinas de jogos eletrônicos.Os valores recolhidos - não divulgados pela PF - foram depositados em uma conta especial à disposição da 13.ª Vara Federal, em Pernambuco, e as máquinas seriam recolhidas ao depósito da Receita Federal depois de periciadas e lacradas. Inquérito policial será instaurado para apurar a responsabilidade penal dos proprietários dos estabelecimentos, que poderão, também, responder por crimes de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.O funcionamento das casas de jogo de bingo no Recife vem sendo investigado há mais de um ano. De acordo com o Ministério Público Federal, a atuação no combate ao funcionamento ilegal dessas casas se desenvolveu em duas frentes: por meio de ação civil pública ajuizada em junho deste ano, quando foi pedido o seu fechamento, diante de proibição da legislação brasileira; e por meio de ação cautelar datada de setembro, quando se solicitou a apreensão das máquinas e componentes como forma de provar ocorrência de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.