PF apreende sprays de pimenta e gás lacrimogêneo em MG

Classificado como arma química, material só pode ser vendido com autorização do Exército Brasileiro

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

03 de março de 2010 | 10h52

Agentes da Polícia Federal estão cumprindo na manhã desta quarta-feira, 3, em Belo Horizonte, sete mandados de busca e apreensão em lojas que comercializam sprays de pimenta e de gás lacrimogêneo, sem a devida autorização do Exército brasileiro.

 

A ação faz parte da Operação Repelente e contra com o apoio de equipes da Receita Federal e do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados da 4ª. Região Militar do Exército Brasileiro.

 

As investigações, segundo a PF, começaram em agosto do ano passado quando foram apreendidos 75 frascos de sprays de pimenta, irregularmente vendidos por uma empresa localizada em Belo Horizonte, para determinada prefeitura de cidade da grande BH. A própria prefeitura desconfiou da irregularidade do material, pois os frascos não possuíam selo de fiscalização federal.

 

Submetidos a exames químicos periciais, o material de procedência incerta foi classificado como arma química, sujeito ao controle do Exército Brasileiro, que por sua vez, constatou que tal empresa, e outras duas que participaram do processo licitatório da prefeitura, não tinham a respectiva autorização para comércio do produto.

 

Após os laudos periciais, foram expedidos pelo juízo da 11ª Vara Federal/SJMG sete mandados de busca e apreensão, contra as empresas e suas filiais, sendo cinco locais em Belo Horizonte (dois no bairro Prado, uma no Gameleira, uma no Barro Preto e outra no centro), um em Juiz de Fora e outro em Sete Lagoas.

Tudo o que sabemos sobre:
spray de pimentaPFMinas Gerais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.