PF apura no Piauí ação de comitê clandestino

TERESINA

Luciano Coelho, Especial Para o Estado, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2010 | 00h00

A Polícia Federal abriu inquérito para apurar a atuação de um comitê clandestino do candidato do PTB ao governo do Estado, senador João Vicente. Os responsáveis ofereciam dinheiro para supostos cabos eleitorais.

O advogado da coligação encabeçada pelo PTB, Charles Max Pessoa, informou que pediu à PF a prisão do suposto responsável. A PF está tomando depoimentos de envolvidos.

Max disse que se trata de trama para prejudicar Vicente. "Achamos que há terceiros por trás disso e isso nos preocupa, pois tem cunho político-eleitoral."

Segundo a apuração da PF, os acusados estavam cadastrando pessoas para trabalhar na campanha. Quem tinha carro poderia receber até três salários mínimos. Quem usasse moto poderia receber até dois salários e os sem veículo receberiam um salário. E era pedido um valor aos interessados para fazer o cadastro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.